sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mudar é preciso!



Já disse aqui o quanto minha vida deu voltas em pouco mais de um ano. E hoje no mesmo lugar em que eu estava decido descer deste confortável meio de transporte e andar com meus próprios pés. Atenta em cada esquina, em cada semáforo, em cada travessia ou passagem preferencial.
Confesso sobre a dificuldade de pensar em "Recomeçar"...  mas faço questão de olhar para trás e trazer comigo todo o aprendizado e experiência para me servir de força, a qual  possivelmente posso precisar.
Eu as trago com carinho, com saudades e com muito orgulho. Se preciso, pago ainda por seu excesso, sem deixar nada para trás, pois tudo que um dia me pertenceu, estará juntinho onde quer que eu esteja, sejam as amizades ou os caprichos.  
Ainda que insegura por novos olhares e formas, o medo não me pertence, nem mesmo a dúvida. Afinal, é chegada a hora e papai do céu está comigo (sempre). Confio que seu propósito será cumprido e peço apenas sabedoria para tomar as decisões corretas. Aquele velho e sábio ditado “o que tiver que ser será” apesar de cômodo é fiel e que assim seja!
Não acho que seja necessária uma despedida. Eu só vou ali. Estarei logo ali, pertinho. E mesmo que eu vire a esquina e não me vejam, sentirão o meu coração e saberão dos meus feitos. Mas se vocês se perderem de mim, busque no guia ou chamem a Filó do GPS. Assim quando eu ouvir a mensagem “sinal de GPS muito fraco, retorne, retorne”... I’ll be back... e de peito aberto para te ouvir e te dar colo.   
Descobri que meus mais fieis amigos não foram feitos em uma vida no contar de dias ou anos. Eles se dedicaram a intensidade dos momentos mais difíceis que passei e demonstraram toda cumplicidade possível e impossível.
Tenho pensado direitinho para não esquecer de absolutamente nada. Faço as malas atenta para justamente não errar nas escolhas do que deixar ou levar. Ai ai ai... e é muito bom poder fechá-las tendo a certeza de que o que levo é o melhor de todos para onde quiser, aqui dentro de mim...



"Can you meet me halfway, right at the boarderline
That's where I'm gonna wait for you
I'll be lookin out, night and day
Took my heart to the limit, and this is where I'll stay
I can't go any further than this, ooooh
I want you so bad it's my only wish" - Meet me halfway

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Cheirinho das lembranças...



A saudade é freqüente em minha vida. Ela acompanha os melhores cheiros das minhas lembranças. E nem sempre é dor... ela pode ser sentida com muita alegria, ainda que carregue a certeza de não mais poder ser “matada”.
Um dos cheiros mais gostosos que sinto dessa saudade é da minha infância. Das histórias que meu avô contava antes de dormir, da clássica música Asa Branca em todo desfecho, sem falar das madrugadas de filmes estilo King Kong, Mazzaropi e até mesmo do Joe Banana... Só clássicos... rs
Ao mesmo tempo, cheiro + saudade = vontade de comer os farelinhos do café da manhã do meu xodó. Saudade de comer bala de coco em ponto de puxa. Vontade de ser criança de novo e aproveitar milhares mais do que um dia eu pude. 
Vontades que vem e não passam...
Vontade de sorvete de perua, de banho de chuva na rua, de truco com os meninos da vila ao entardecer. Saudade de brincar de caminhoneiro com minhas primas, de supermercado na despensa da minha avó, de castelinho de barro no pomar da minha biza.
... E olha que eu nunca quis ser gente grande. Essa vida na verdade nem tem a mesma graça. But...
Sinto cheiro da época dos patins, do meu primeiro beijo na muretinha ao lado do portão. Depois do segundo beijo no último andar da escadaria do prédio... assim como do meu último beijo. Passam os anos e tudo continua igual... Cada lembrança com seu cheiro particular.
Cheiro de cada ansiedade por mais um dia e outro e mais outro.
De um passado ainda recente sinto falta da época de faculdade. Das aulas que eu não matava... De dar bom dia para o Sol nas manhãs de frio intenso e até mesmo dos vizinhos que nem conhecia. Sinto ainda o cheiro de cada pessoinha que guardo no coração por que presente de Deus é assim que se cuida.
Mas a lembrança mais recente é de uma paz que chegou no meu coração. E essa tem nome, tem cheiro e tem cor. Ela vem e vai... e fica. Ela não chega a ser totalmente uma lembrança, por que ela ainda é presente e não quero nunca que vire passado.

Felicidade é para ser vivida e não somente recordada.
 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O fantástico mundo de Blogs

                           


Essa semana fui surpreendida com esses presentes. Na verdade sou um bebê no mundo dos blogs e nem sabia que se promovia esse tipo de carinho aos seus habitantes. Tenho aprendido a cada dia com esses olhares diferentes.

Vejo o quanto o coração de cada pessoinha é parecido com o meu, ainda que as atitudes tenham suas particularidades. Tem sido um conforto ler tanta sensibilidade...

Ainda estou os conhecendo, aos poucos... mas já me encanto com a ousadia do http://demaipramai.blogspot.com , com o carinho que conversam as palavras do http://pequenosbarulhosinternos.blogspot.com , com a transparência do coração http://decasocomaspalavras.blogspot.com , assim como a sinceridade que é demonstrada pelo http://tangaramerece.blogspot.com ... e pelo bendito é o fruto entre elas  http://fatosempalavras-cl.blogspot.com ... entre muitos outros nesse “mundão”.

E o planeta Blog está em festa por que os Selos de Reconhecimento foram dedicados merecidamente essa semana e modestamente agradeço as duas lembranças da Totila.

O fato é que eu mais aprendo do que ensino aqui e isso faz valer a pena.

“Prêmio Dardos” e “Blog digno de ser lido"

Como eles me explicaram, esses selos representam o reconhecimento aos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais etc, que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras e suas palavras. Eles foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

É revoltante...





... Saber que muitas pessoas fazem de suas vidas um jogo sem função, sem sabedoria, sem objetivo. É revoltante ver que a vida tem sido encarada com aposta de um jogo sem cuidado, sem carinho, sem respeito. E mais revoltante ainda, ver pessoas se submetendo a serem peças para atuar nesse tabuleiro e defendendo isso como se fosse algo digno de ser aplaudido ou promovido a próxima fase.

Cada um está no lugar onde se coloca... ou se anda para frente ou para trás. Ou recebe em dobro ou se passa a vez. Cada escolha, uma renúncia. E para que? Para ser personagem sem fundamento, vivendo apenas de pretextos??!! Chego a ter tremedeira quando sinto cheiro de dissimulações e hipocrisias sendo vistas por cima do muro, sem olhar para dentro, sem olhar para si.

Mantenha a sua essência, seja original, faça de coração, por que é só o que se admira, é só o que fica. Você não precisa ser mais do que “fulaninho”, basta que esteja disposto a preencher as pessoas com o melhor que existe em você. Deixe saudades, deixe lembranças... mas de tudo que foi bom, puro e agradável. Não queira ser visto como erro ou lembrado como um pedaço de dor na vida dos que estiveram a sua volta. O peso do arrependimento é desconfortante.

Aprenda a ouvir, aliás ouça mais do que fale. Nada precisa ser compartilhado se isso não produzir bondade. Não queira ser um reflexo do que você fala, por que as suas atitudes comprovarão o contrário e não te sustentará.

Faça valer a pena, em tudo.
E que sua presença esbanje lealdade, cumplicidade, carinho, cuidados, respeito... Ainda que surjam situações para te deixar na dúvida de que é preciso rever conceitos. Pois não, não é.

Ninguém erra por acreditar, por amar, por se doar.
Deixe marcas de saudade, de prosperidade, de verdade, de bem querer.