quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Tropa de Elite 2








Segue desabafo de uma amiga depois de assistir ao Tropa de Elite 2: 
Faça Valer a pena!!! 


VAMOS SER AS NOVAS TROPAS NAS RUAS?
CONVITE A TODO CIDADÃO BRASILEIRO

Assisti ao filme Tropa de Elite 02 esta semana e estou extasiada. Penso que é esta a palavra. Amo cinema e o “Tropa” é genial. Vou levar tantos quanto eu puder a vê-lo, ou induzir a assisti-lo. Permeei por todos os sentimentos enquanto o assistia: indignação, revolta e até mesmo alegria por ter somente 27 anos e poder, quem sabe de alguma forma, transmitir à minha filha e quem mais se dispuser a me ouvir, que acredito no meu País, embora muitas vezes eu me envergonhe dele! Mas quem de nós nunca teve vergonha de si mesmo, não é?!
Percorri durante os 118 minutos do filme por pelo menos 10 anos de história deste País, vendo-o retratado em cada frame. Revi a morte do jornalista Tim Lopes, do prefeito Celso Daniel morto em “suposta” queima de arquivo e o menino João Hélio que aos seis anos foi arrastado pelas ruas do Rio de Janeiro... Ficamos chocados, não?!
Entretanto, meu horror foi ainda maior, quando realmente entendi vendo no plenário, no depoimento do Coronel Nascimento (cena do filme), as mães com faixas dos filhos mortos pelas barbáries diárias ocorridas nas ruas do Rio de Janeiro, e que ainda acontecem até nos confins do Judas. Inúmeros casos de policiais envolvidos no crime organizado e recebendo propinas. Deputados, prefeitos e dirigentes políticos que se mostram indignados vivendo verdadeiras cenas de tragédia shakespeareanas, quando envolvidos em escândalos, que são o combustível das CPI´s, onde dão depoimentos inflamados nos plenários, como o Deputado Guaraci, personagem do filme e caricatura de muitos desses candidatos, CPI`s essas que muitas vezes servem mais de palco para promover os que naquele momento são opostos aos acusados. Os mensalões, “pizzadas” no planalto e muito mais de todo esse lixo embaixo do tapete dos Três Poderes do Brasil. Deve ser para isso, o tapete do planalto! Acredito que em breve devam contratar uma empresa para lavá-lo.
 Eu poderia me enveredar por muitos caminhos e relembrar muito mais da triste realidade do nosso Brasil, mas minha intenção não é a de “chover no molhado”. Sabemos de tudo isso, pois nos veículos de massa não se fala em outra coisa. O que pretendo é fazer com que as pessoas assistam ao filme e percebam a teia que a grande Viúva Negra chamada POLITICAGEM vem tecendo neste País. Nós sabemos que a corrupção está aí, e nem nos indignamos mais. Acontece que muitos de nós, cidadãos, acreditam que os grandes problemas sejam o tráfico, a violência, a marginalidade, enquanto que um na verdade não existe sem o outro, e ambos se alimentam e vivem como parasitas, enquanto nós os sustentamos.
Somos nós os doentes nas filas do SUS, morrendo nas portas dos hospitais. Somos nós que não temos escolas boas e seguras para nossos filhos, somos nós que vemos nossos filhos serem vítimas de balas perdidas, que vemos o nosso querido filho ser atropelado em um racha, como o filho da atriz Cissa Guimarães e descobrir que os policiais que deveriam ter prestado socorro a ele, foram pedir propina para livrar a cara dos playboys que o atropelaram. Mas culpar somente os policiais é fácil, culpar o País é fácil, culpar o sistema é fácil, enquanto continuamos vivendo nas favelas onde o lixo é jogado a céu aberto, junto com o xixi e as fezes. Permanecemos analfabetos e todo o resto que já estamos cansados de saber. Ficamos indignados e só, isso, estáticos. Não temos coragem de botar a boca no trombone.
Na noite de 04 de dezembro, enquanto assistia ao Tropa 02, um filme em paralelo passou por minha cabeça. O meu processador começou a funcionar, e foi baixando da minha memória todo o lixo bombardeado dia após dia na minha mente, o que na maioria das vezes prefiro, simplesmente, mandar para a lixeira, dos telejornais e leituras da mídia impressa. Notícia e mais notícia que se repete tragédia+caos+morte. Um grande quadro da realidade nua e crua se constrói em minha frente e me vejo em Doriam Gray, ao se dar a facada, no quadro, o seu verdadeiro “eu” começa a aparecer, decompondo-se e apodrecendo instantaneamente.
Meu nome é Loraine Passaglio, tenho 27 anos, sou Turismóloga e pós-graduada. Gerencio um hotel no interior de Rondônia, tenho 33 funcionários sob minha orientação todos os dias. Sou mãe. Portanto, posso me considerar formadora de opinião. Prometo a partir de hoje, não mais ficar sentada em meu sofá, na cadeira do meu escritório e nem vou só me preocupar com meu cansaço depois de um dia de trabalho. Vou abrir a boca para falar do que realmente importa, nunca mais vou dizer que odeio política, porque eu sou cidadã brasileira, amo o meu País e não vou mais acreditar em Papai Noel, um senhorzinho barbado, sorridente que diz: “Ho Ho Ho, nunca antes na história deste País”... Porque eu sei que posso fazer alguma coisa, assim como o que acabo de desabafar aqui.  
 
Loraine Caroline de Souza Passaglio
Ji-Paraná 06 de dezembro de 2010

2 comentários:

  1. Um senhor filme, repletod e imundas e imensas verdades. Realidades que podê - edeveriam - ser vista todos os dias.

    ResponderExcluir
  2. TENHO UM PEDIDO DE NATAL ESSE ANO DE 2011 QUE AS MESMAS TROPAS QUE INVADIRAM O ALEMÃO ESTE ANO..DE 2011 COMECEM POR BRASILIA ANTES DE INVADIR O PROXIMO MORRO ....LA QUE ESTÃO OS BANDIDOS MAIS PERIGOSOS DO PLANETA ..A SUJEIRA MAIOR ESTA LA...EM BRASILIA...DO LADINHO DA LEI...DENTRO DA LEI..INFECTANDO GERAL...MEU IIIIIIDOLO ERA SUPERMAN HOJE CLARO CAPITÃO NASCIENTO SRSRS NÃO ASSISTI AQUI PASSA QUANDO ESGOTAR TODOS CINEMAS DO PAIS...ESSES DIAS AINDA ESTAVA PASSANDO SHEREK..E O 1 NÃO ´4 SRSRS SRSRS SRSRSR BJS QUERIDA KEL

    ResponderExcluir